Mude esses 4 hábitos para economizar dinheiro

Quando chega o final do mês (ou até antes), você se pergunta para onde seu dinheiro foi? Fica assustado quando recebe a fatura do cartão de crédito? Não sabe como encaixar todas as contas no orçamento? Se as suas finanças não estão organizadas como gostaria, a boa notícia é que, com um pouco de disciplina, é possível sair dessa situação.

Quando chega o final do mês (ou até antes), você se pergunta para onde seu dinheiro foi? Fica assustado quando recebe a fatura do cartão de crédito? Não sabe como encaixar todas as contas no orçamento?

Se as suas finanças não estão organizadas como gostaria, a boa notícia é que, com um pouco de disciplina, é possível sair dessa situação. O ponto-chave para essa transição não é um segredo, mas muitas vezes é menosprezado: a adoção de bons hábitos. As ações para economizar dinheiro e conquistar sonhos e planos sempre são bem-vindas e, em tempos de crise, também são essenciais para a prevenção de incidentes.

Antes de continuar este texto, tire da sua cabeça a ideia de que é muito complicado ou trabalhoso encontrar maneiras de cortar gastos ou elaborar um orçamento, definindo objetivos financeiros para saber aonde seu dinheiro vai. Estamos aqui para ajudar a lidar com suas finanças e mostrar as atitudes que mais distanciam de uma vida financeira saudável.

Afinal, não tem como escapar disso: você só passará a economizar de verdade quando aprender a mudar sua forma de pensar e trocar os hábitos que impedem de poupar mais. Não é uma tarefa fácil, mas, quando se compromete a mudar os quatro pontos que citaremos aqui, já dá para ver os resultados. Vamos lá?

1) Não registrar suas despesas
O primeiro hábito que te impede de economizar dinheiro é muito simples, mas é ignorado pela maioria das pessoas. Alterá-lo não deve exigir muito de você, pois será um exercício diário. Assim como não priorizar as atividades para realizar ao longo do dia pode diminuir sua produtividade ou deixar de fazer uma lista de compras antes de ir ao supermercado contribui para gastar com o que não deveria, se esquecer de anotar suas despesas é o primeiro obstáculo para uma vida financeira estável.

O que fazer a partir de agora?
Separe um tempo do seu dia para realizar esses registros da forma mais adequada para sua rotina: em uma planilha no computador, em um aplicativo no celular ou em uma folha na sua agenda. O importante é que seja prático, rápido e organizado. Não se esqueça de anotar desde custos menores até os maiores, fixos e variáveis, diários e mensais.

Você também pode dividi-los por categorias gerais, como alimentação ou transporte. Assim, no final do mês, poderá identificar quais são supérfluos, quais ficaram muito acima do previsto e, consequentemente, o que pode ser reduzido ou remanejado.

2) Comprar por impulso
Fazer as coisas por impulso usualmente gera resultados ruins. E, quando falamos de dinheiro, não é diferente. Comprar algo sem ter a certeza de que o gasto cabe no seu orçamento aos poucos vai formando uma bola de neve. No final do mês, você precisa se desdobrar pra conseguir pagar tudo ou acaba acumulando uma dívida porque não imaginava a proporção que aqueles pequenos gastos tomariam.

O que fazer a partir de agora?
De agora em diante, antes de adquirir qualquer coisa, pare alguns minutos para avaliar a necessidade do gasto. Caso seja necessário, lembre-se de fazer uma pesquisa para comparar os preços, a qualidade e o custo-benefício antes de finalizar a compra. Com esse hábito, você tem mais tempo para pensar e ainda obtém informações para tomar a melhor decisão.
Além disso, consulte sua planilha ou agenda de gastos para saber se é viável acrescentar esse valor no seu planejamento, pois mesmo pequenas compras têm a capacidade comprometer ou adiar a realização de sonhos e objetivos no futuro.

3) Não se planejar para o futuro
Como você se imagina daqui a cinco anos? E daqui a dez? Você já deve ter ouvido essa pergunta, mas pode não ter dado tanta consideração a ela. Mas saiba que a organização das suas finanças provavelmente vai influenciar na realização ou de sonhos e planos para o futuro. Viver no presente e aproveitar cada momento é importante, mas negligenciar a relevância de economizar ou investir é um grande erro.

O que fazer a partir de agora?
Após evitar os erros listados anteriormente, analise suas finanças e comece a cortar gastos e economizar. Algumas mudanças, como fazer as refeições em casa ou levar marmita para o trabalho durante a semana, além de cancelar serviços de assinatura pouco usados, ajudarão a reorganizar seu orçamento a fim de separar um dinheiro mensalmente para poupar e investir.
Lembre-se: tão significativo quanto separar um valor, é investi-lo corretamente. Mesmo que seja mais conservador, procure a opção com as melhores taxas e benefícios para o usuário. Se preferir, faça investimentos de baixo risco que, no longo prazo, rendam mais que outros. No Sicoob, por exemplo, o RDC é uma ótima opção. Por ser uma aplicação de renda fixa, tem valores pré-definidos e rentabilidade e liquidez diárias. Além disso, é possível escolher o prazo de aplicação do dinheiro e aumentar sua participação nos resultados.

4) Negligenciar a educação financeira
Apesar de já ter ouvido falar da educação financeira, as pessoas geralmente não a levam a sério ou não a colocam em prática. Mas, se você chegou até aqui, já deu o primeiro passo.

O que fazer a partir de agora?
A mudança de todos os hábitos citados anteriormente está ligada à educação financeira. Por isso, após aplicá-los, não deixe de pesquisar e estudar mais sobre as melhores formas de fazer seu dinheiro render. Defina bem seus objetivos de curto, médio e longo prazos e mantenha o foco para cumpri-los. Aproveite recursos como aplicativos, sites e blogs que fornecem conteúdo esclarecedor e ajudam a organizar e otimizar seu tempo para controlar suas finanças.

Durante todo o processo, conte com quem te ajuda nessa caminhada, desde familiares e amigos até instituições que podem ser verdadeiros parceiros na hora de cuidar do seu dinheiro e te guiar para a melhor escolha. Aqui, no Sicoob, muito mais que cliente, você é dono! Além de várias opções de produtos e serviços, taxas melhores e abrangência nacional, ainda tem participação nos resultados e poder de voto igualitário em assembleias para conduzir a maior instituição financeira cooperativa do Brasil. Vamos crescer juntos?

Fonte: Sicoob

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *